lista de seguidores

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Bancada evangélica quer derrubar reconhecimento da Associação de Travestis

Bancada evangélica quer derrubar reconhecimento da Associação de Travestis Status de utilidade pública garante recursos públicos à Associação
Bancada evangélica quer derrubar reconhecimento da Associação de Travestis
A bancada evangélica da Câmara de Campo Grande está travando um embate difícil na tentativa de derrubar o projeto que reconhece como de utilidade pública a Associação de Travestis de Mato Grosso do Sul.
Ele foi apresentado pela primeira vez em 2008 pelo vereador Athayde Nery (PPS) em dezembro de 2008. Não foi aprovado na ocasião e Athayde não foi reeleito e o projeto ficou parado.
Agora, foi retomado pela vereadora Luiza Ribeiro (PPS). Ela explica: “Ninguém está trocando de religião ou algo assim. Não adianta levar para outro caminho. Acredito que não teremos dificuldade [de aprovar]”. Ter o reconhecimento de utilidade pública garante a associação o direito de fazer convênios e conseguir recursos públicos da Prefeitura de Campo Grande. A associação já recebe apoio do Governo Federal.
Um dos líderes na tentativa de impedir sua aprovação é Alceu Bueno (PSL). Ele explica sua postura: “Sou contra o ativismo. Não tem nada a ver com homossexuais, que eu tenho um grande carinho. Vou fazer de tudo para que o projeto não seja aprovado. São meus princípios e minha fé que fazem com que eu lute contra. Não fico em cima do muro e sou radicalmente contra”.
Enfatiza que não concorda sobretudo com o fato da associação querer usar dinheiro público para fazer apologia de suas atividades.
Flávio César (PCdoB) votará contra e questiona qual a contribuição social da Associação. “Nada contra as pessoas que têm esta opção sexual. Não é este o fator. Isso é problema pessoal de cada um. Mas, é um projeto que vem na contramão do que tenho como princípio. Por este fator sou totalmente contra este projeto”.
Por sua vez, Elizeu Dionízio (PSL) foi enfático: “Sou evangélico da Assembleia de Deus Missões. Este projeto vai de encontro aos princípios e vou me posicionar de acordo com que a igreja passa. Vamos ter grandes embates lá dentro e terão dificuldade sim para aprovar o projeto”.
A Câmara deverá discutir o projeto nos próximos dias. Com informações de Mídia Max. 
por Jarbas Aragão
Fique bem informado....
Deixe seu comentário no IPRVida

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Páginas